Preservativo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) são contabilizados todos os dias no mundo mais de 1 milhão de casos de IST curáveis entre pessoas de 15 a 49 anos.


As IST estão em alta no Brasil e a sífilis é o caso mais alarmante com aumento da taxa de 59.1 casos/100 mil habitantes em 2017 para 75.8 casos/100 mil habitantes em 2018.

As hepatites virais, doenças altamente perigosas, também estão em alta. De 2008 até 2018 foram registrados quase 633 mil casos no país, sendo que somente em 2018 foram 43 mil casos.

Para HIV, de 2010 a 2018 o Brasil teve aumento de 21% no número de casos novos, enquanto o resto do planeta teve queda de 16%.

De acordo com especialista, a principal razão para esse aumento está ligada ao fato das doenças serem silenciosas e não apresentarem sinais e sintomas por meses ou anos, somado a diminuição no uso de preservativos, o baixo nível de conhecimento sobre educação sexual e baixa adesão na cobertura vacinal para as doenças que podem ser prevenidas.

As IST são causadas por mais de 30 vírus e bactérias e transmitidas, principalmente, por relação sexual com uma pessoa infectada. Também podem ser passadas de mãe para criança durante gestação, parto ou amamentação. Essas doenças podem provocar, além das conhecidas lesões nos órgãos genitais, câncer, complicações na gravidez e no pato, aborto, infertilidade, problemas neurológicos, cardiovasculares e até a morte. Podem, também, deixar sequelas emocionais e sociais.

Outro fator preocupante é que essas doenças deixam os pacientes mais vulneráveis a adquirir o HIV. Exima-se que a chance de infecção eleva em até 18 vezes.

 

Fonte: Eco Diagnóstica